Make your own free website on Tripod.com

SAEAFS

Home Up Entre em contato Conteúdo do Site Busca

Aeração do Solo

Aeração do Solo Solutos do Solo Sistema multicomponente Água do Solo Temperatura do solo

 

Image11.gif (1005 bytes)

Página preparada pelo prof. Dr. Celso L. Prevedello, como parte de um serviço prestado pela SAEAFS à comunidade agrícola brasileira.

Image10.gif (1005 bytes)

 

SAEAFS

 

SOCIEDADE AUTÔNOMA

DE ESTUDOS AVANÇADOS EM

FÍSICA DO SOLO

 

FONE (041) 975-5230

CURITIBA

  

AERAÇÃO DO

SOLO

 

OS GASES DO SOLO

Os processos respiratórios das raízes das plantas, da flora e da fauna do solo exigem um adequado suprimento de O2. O CO2 liberado nesses processos, por sua vez, deve ser removido do solo para a atmosfera. Esses importantes processos de troca, por outro lado, ocorrem no mesmo sistema poroso que também deve assegurar um adequado suprimento de água, nutrientes e calor para todos os processos fisiológicos. A fase gasosa, também chamada de ar do solo ou atmosfera do solo, é composta principalmente de N2, O2, vapor de água e CO2, com traços de outros gases. O ar do solo pode variar em composição e concentração, tanto no tempo quanto no espaço, dependendo da presença de matéria orgânica, das atividades microbianas, da concentração de raízes, da aeração do solo e das reações químicas. A aeração do solo é a troca de gases entre o solo e a atmosfera. Mesmo em solo bem aerado, a fase gasosa apresenta uma maior concentração de CO2 e umidade relativa do que o ar atmosférico. Na ausência de aeração, a redução química toma lugar produzindo gases como o metano, gás sulfídrico, óxidos nitrosos e outros. Desprezando os gases traços, pode-se dizer que a fração volumétrica de N2 é cerca de 80% (a mesma da atmosfera) e que as do CO2 e O2 perfazem cerca de 20%.

 

SITUAÇÕES CRÍTICAS

Com o aumento na profundidade do solo, a concentração de CO2 aumenta e a de O2 decresce, devido às atividades biológicas (respiração das raízes, das plantas, dos microorganismos e da fauna do solo). A fração volumétrica de CO2 no ar do solo é maior do que os 0,03% da atmosfera. O crescimento, tanto das raízes quanto da parte aérea de muitas plantas, é prejudicado se a fração volumétrica de CO2 for maior do que 5% (ou O2<15 %), aproximadamente, enquanto que o limite superior crítico é cerca de 10% de CO2. A aeração do solo ocorre pelo espaço poroso não ocupado pela fase líquida e geralmente decresce em profundidade no perfil de solo. A fração volumétrica gasosa (porosidade de aeração) adequada para as raízes das plantas varia de espécie para espécie. Para as culturas agrícolas, entretanto, admite-se que a porosidade de aeração não deve ser menor do que 10-12% (em volume), dentro de dois ou três dias após ocorrer chuva ou irrigação.

 

AERAÇÃO DOS SOLOS PARANAENSES

A comunidade científica do estado do Paraná reconhece, desde há muito tempo, sérios problemas de degradação física dos solos deste estado. Como conseqüência, as culturas agrícolas vêm sofrendo uma apreciável queda em produtividade, como atestam os boletins informativos dos órgãos agrícolas, notadamente da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado do Paraná. Muitas técnicas e alternativas de manejo já foram e estão sendo empregadas e comparadas, afim de se minimizar os impactos da agricultura nesses solos. Preocupados com isso, os dirigentes políticos destinam-se a vultosos empréstimos financeiros em bancos internacionais para financiar equipamentos de irrigação, entendendo que essa técnica possa ser capaz de reverter tal situação e recuperar as perdas em produtividade. Os agricultores, por sua vez, para compensar essas perdas, ou adquirem esses sistemas de irrigação, ou ocupam áreas marginais para ganhar em produção o que perderam em produtividade. É bem sabido que a irrigação é capaz de elevar a produtividade. Todavia, nem sempre isso é verdadeiro. São inúmeros os casos, no estado do Paraná, de agricultores irrigantes produzirem menos do que aqueles não irrigantes, em igualdades de condições. E esse fato não parece difícil de ser explicado: acontece que a irrigação, ou mesmo as chuvas (até bem distribuídas no estado do Paraná), sobre solos compactados (degradados fisicamente), faz retardar ainda mais o processo difusivo de trocas gasosas entre o solo e a atmosfera, prejudicando ou comprometendo o processo respiratório das plantas.

 

SOLO AERADO PRODUZ MAIS E MELHOR

Desde que a aeração do solo ocorre pelo espaço poroso não ocupado pela fase líquida e geralmente decresce em profundidade no perfil de solo, seja pelo decréscimo da porosidade, pelo aumento da umidade do solo ou pelo decréscimo das atividades biológicas, é fácil poder-se admitir que é possível produzir mais e com melhor qualidade, se houver atenção com a qualidade física dos solos, promovendo-se condições para uma adequada aeração do sistema radicular das plantas (até por injeção forçada de ar diretamente na zona das raízes), já que dos cinco fatores essenciais à produção de qualquer espécie vegetal (água, luz, calor, ar e nutrientes), a aeração do solo nitidamente está se tornando, nas condições paranaenses, o mais limitante.

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

Prevedello, C. L. Física do solo com problemas resolvidos. Salesward-Discovery, Curitiba, 446p., 1996.

 

Home ]

Next

Envie um email para estudonline@ieg.com.br com questões sobre o site.
Copyright © 2001 Sociedade Autônoma de Estudos Avançados em Física do Solo
Última modificação: 16/03/2002